Segunda-feira, 22 de julho de 2019

Ao time do FCC e torcedores, um conselho: muita calma nesta hora!

12/03/2018
Apesar das derrotas neste segundo turno, estar na Série D e entre as equipes de elite do futebol brasileiro em pouco tempo, não é um mero sonho para o FCC, mas uma visão de futuro.

Não se tira de linha um modelo só porque há necessidade de recall em alguma peça. Se houve falha em algum setor na linha de produção, preservam-se peças e componentes sem problemas e se faz apenas o devido reparo nas que dele necessitem. E assim é em vários campos da vida. Quando há necessidade de algum ajuste ou reparo, seja de ordem física ou de sistema, isso é feito com a devida preservação do que está bom.

O Futebol Clube Cascavel, em sua breve história, já mostrou muita coisa boa, e que ao se dar ao clube uma gestão empresarial baseada em um plano de estratégia com vistas, logicamente, a bons resultados em campo, com vitórias e títulos, que é o objetivo de qualquer esporte competitivo, porém, o foco vai mais além, e também está na formação de atletas e na construção de equipe de futebol profissional com uma estrutura sólida e não meramente formada na pré-temporada, sem maior envolvimento e comprometimento de atletas, dirigentes e comissão técnica. Definitivamente, esse não é o caso do FCC, que apesar de não estar apresentando a mesma performance do primeiro turno do Paranaense 2018, está numa situação que, se o campeonato terminasse agora, permaneceria na Primeira Divisão. Claro que, como no caso do recall, é preciso que se façam reparos, especialmente dentro de campo, para que os bons resultados voltem a acontecer e que se continue aspirando algo mais do que o Paranaense. Na equipe do Sub-23, por exemplo, é certo que há muita coisa boa pelo que se viu no ano passado, e é aí que a esperança da torcida se renova, já que se tornou difícil aspirar o que esteve bem perto no primeiro turno, o título do estadual paranaense e com ele, o acesso à Série D.

Uma sequência de derrotas não exige apenas ajustes em campo, um recall para continuarmos usando o termo comparativo, mas que o campo psicológico dos jogadores também tenha atenção, pois eles já mostraram que conseguem bons desempenhos, basta ver o FCC jogou contra o Atlético e o Londrina, só para citarmos dois jogos do primeiro turno. A torcida, por sua vez, deve exercer paciência e continuar confiando no bom trabalho da comissão técnica e de gestão do FCC. Motivação sempre é boa, mas não se pode confundi-la com animação ou empolgação. Ela requer alguns passos, e depende muito mais da pessoa, no caso, de cada um dos jogadores. Feitos os ajustes, a confiança voltará!

Já quanto à gestão empresarial do FCC, os que estão à frente deste projeto são pessoas bem preparadas e certamente já enfrentaram, em seus negócios, altos e baixos, com um mercado nem sempre amável. Exatamente por isso é que se pode afirmar que estar na Série D e entre as equipes de elite do futebol brasileiro em pouco tempo, não é um mero sonho para o FCC, mas uma visão de futuro, que deve ser perseguida com base numa bem montada estratégia para um clube empresa, cujo objetivo, além de competir e garantir bons resultados, também é formar atletas, com boa gestão e, logicamente, com motivação e muito empenho da equipe dentro de campo. Com os devidos ajustes, o recall que mencionamos, essa operação vai preservar o que está bom, mas ajustar o necessário. Portanto, ao time do FCC, dirigentes e torcedores, um conselho: “muita calma nesta hora”.

 

(Artigo de CESAR DA LUZ, jornalista, diretor do Grupo Paraná Mais de Comunicação)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)