Segunda-feira, 25 de outubro de 2021

MAC expõe “Enigma da Visão” até o dia 20 de julho

12/06/2018
Obras de 38 artistas brasileiros e internacionais no Museu de Arte de Cascavel (MAC) compõem, de forma magistral, um conjunto de obras e poéticas singulares que mostram e ampliam a capacidade de compreensão, assimilação e a maneira de interpretar o que é proposto pelo artista.

Até o dia 20 de julho o Museu de Arte de Cascavel (MAC) abriga a exposição “Enigma da Visão”, numa realização da Secretaria Municipal de Cultura e Esportes de Cascavel. Ao todo são obras de 38 artistas brasileiros e internacionais que compõem de forma magistral um conjunto de obras e poéticas singulares que mostram e ampliam a capacidade de compreensão, assimilação e a maneira de interpretar o que é proposto pelo artista. De Cascavel, a “Enigma da Visão” viajará ao redor do mundo, pelos principais Museu Brasileiros, devendo chegar à Europa em 2020.

A exposição foi parte da Bienal Internacional de Curitiba especializada em Arte Contemporânea, de setembro de 2017 a fevereiro de 2018, tendo como curadores Mássimo Scaringella, crítico de Arte Internacional residente em Roma (Itália), e Luiz Carlos Brugnera, renomado artista plástico cascavelense.

“As obras aqui reunidas são representações da percepção de situações cotidianas ou de qualquer natureza pelo ponto de vista destes artistas visionários, trazendo um pouco desta compreensão do mundo atual, em representações de diversos universos pessoais ou coletivos, feitos através de imagens que se transfiguram diante dos olhos ou do espírito, algumas podendo parecer alucinações ou delírios”, define a "Enigma da Visão", Antônio Carlos Machado, um dos artistas brasileiros convidados, atual coordenador do MAC.

 

ENIGMA DA VISÃO

 

Idealizada pelos curadores Luiz Carlos Brugnera e Massimo Scaringella e viabilizada pela Secesp e por Antônio Carlos Machado, a “Enigma da Visão” é uma exposição ímpar e imperdível, cujo Curador Internacional Massimo Scaringella aguça a curiosidade e imaginação ao mencionar que ela “olha para além do objeto e da cor, em memória de seus pensamentos, que se suavizam do supérfluo em direção a uma realização”.

Ele complementa: “Isso corresponde à produção de linguagens artísticas novas e plurais, da fotografia à videoarte, da Land art a streetart, da bodyart a performance, para enumerar as novas, mas sem esquecer da pintura, que continua a auto candidatar-se ao primado do fazer arte. Linguagens que, se por um lado impediram de circunscrever o significado da arte para uma experiência exclusiva, por outro lado, tem implantado inúmeras possibilidades antitéticas de interrogar o sentido profundo da realidade, sem nunca revelar seu enigma. Esta pluralidade, das possíveis e realizáveis formas de arte, torna necessária a busca de expressividade, não como um critério de interpretação unívoco, mas como confronto com a verdade na forma de um enigma”.

 

CURADOR LUIZ CARLOS BRUGNERA

 

A curadoria nacional ou seja, a administração das obras dos artistas brasileiros, tem como seu tutor o artista plástico Luiz Carlos Brugnera, um dos idealizadores da exposição até então instalada na Bienal de Curitiba e que está em itinerância por todo o Paraná, começando por Cascavel. Brugnera pontua que a “Enigma da visão” é apresentada aos olhares diversos com múltiplas absorções. “Após a compreensão do que se vê, surgem, instantaneamente, agradáveis dúvidas e releituras. O papel da oportuna exposição é o de dar voz e asas aos leitores... Exercício místico e dual, origem pura da criação que traz, em seu cerne, a antítese e a antípoda para deixar velado ou explícito o registro do enigmático”, observa.

 

CURADOR MASSIMO SCARINGELLA

 

O italiano Massimo Scaringella, Curador independente de arte contemporânea e organizador de eventos culturais, com destaque para a curadoria do Pavilhão da Costa do Marfim, na 57ª Exposição Internacional de Arte - La Biennale di Venezia, é o responsável pelas obras dos artistas internacionais.

Nascido em Roma em 1953, Massimo vive em Roma e Buenos Aires. Editou ou colaborou em mais de 250 exposições de arte contemporânea em 40 países, criando uma ponte de intercâmbio entre a arte italiana e do resto do mundo. Na América Latina, colabora com os principais centros dedicados à arte contemporânea. Foi Diretor Artístico da 4ª edição da Bienal do Fim do Mundo 2014/2015. Diretor e fundador do Arsmaxjer contemporanea - projetos culturais de vanguarda, em 2017 foi nomeado curador do Pavilhão Nacional da Costa do Marfim, na 57ª Bienal Internacional de Arte de Veneza.

 

ARTISTAS CONVIDADOS

Os artistas convidados para a exposição “Enigma da Visão” são de diversas nacionalidades: Antônio Carlos Machado – Brasil; Alfi Vivern – Argentina; Andriy Sydorenko – Ucrânia; Angela Lima – Brasil; Antonio Riello – Itália; Brugnera – Brasil; Claiton Biaggi – Brasil; Coletivo Duas Marias – Brasil; Coletivo Kimieck – Brasil; Fabrizio Passarella – Itália; Faisal Iskandar – Brasil; Filippo Berta – Itália; Francesco Candeloro & Arthur Duff - Itália / Estados Unidos da América; Franzoi – Brasil; German Tagle – Chile; Hannu Palosuo – Finlândia; Jairo Valdati – Brasil; Joachim K. Silué - Costa do Marfin; Jorge Miño – Argentina; Juliana Stein – Brasil; Marco Bolognesi – Itália; Maria Cheung – China; Nani Rabelo – Brasil; Patricia Claro – Chile; Rosângela de Andrade Boss – Brasil; Sérgio Adriano H. – Brasil; Silvana Camilotti – Brasil; Stevens Vaughn - Estados Unidos da América; Taiji Terasaki - Estados Unidos da América; Tim Parchikov – Rússia; Tuomo Rosenlund & Johanna Pohjanvirta - Finlândia / Finlândia; Vilma Slomp – Brasil; Von Joseph – Brasil;

Zaneta Vangeli – Macedônia; Zlatolin Donchev & Anto.Millotta - Bulgária / Itália.

 

(Fonte: Secesp/Cascavel)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seja o primeiro, faça seu comentário. ;)